ENDOMETRIOSE

O que é a endometriose?

 

A endometriose é uma doença inflamatória caracterizada pela presença de células endometrias (que representa a camada interna do útero, que descama todo mês na menstruação) fora da cavidade uterina, principalmente na região pélvica.  É estimado que a endometriose afete 1 em cada 10 mulheres no período reprodutivo. 

O que causa endometriose?

Muitas teorias foram propostas até hoje, mas nenhuma delas foi capaz de isoladamente explicar o surgimento e o desenvolvimento da endometriose. 

Uma das mais aceitas é a Teoria da menstruação retrógrada, que consiste na implanta as células endometriais, liberadas na menstruação, na cavidade pélvica devido a um um fluxo menstrual contrário.  Entretanto esse refluxo menstrual ocorre 90% das mulheres, e só em uma menor parcela vai haver essa implantação na pelve. 

Existem atualmente fortes indicativos de que fatores imunológicos - inflamatórios participam de forma importante no desenvolvimento da endometriose, com a presença de alterações do fluido peritoneal, com ampla produção de citocinas que permitem uma implantação endometrial em lugares a distância.  

Outra teoria desenvolvida para explicar a endometriose é a da metaplasia celômica, que  consiste na presença de algumas células primitivas na cavidade pélvica,  que tenham a capacidade de se diferenciar em outros tipos de células, como as células endometriais. emos uma melhora considerável da qualidade de vida.

A presença de uma equipe multidisciplinar e interligada é ponto chave no tratamento da endometriose. . O tratamento medicamentoso  é uma opção para o controle das dores e progressão da doença, e existem diversas opções, com a finalidade de bloquear a produção hormonal e diminuir os focos da doença. 

Em casos que não obtemos resposta ao tratamento clÍnico, no acometimento intestinaL grave  e de bexiga, por exemplo,  o tratamento cirúrgico por via laparoscópica é indicado. Mas deve-se avaliar a reserva ovariana antes do procedimento cirúrgico, para minimizar os riscos de uma diminuição da fertilidade.  

Quais os sintomas?

Cerca de dois terços das mulheres com endometriose iniciaram seus sintomas antes dos 20 anos de idade. O principal sintoma relacionado à endometriose é a cólica.

Outros sintomas como a dor pélvica fora do período menstrual,  dor na relação sexual, e a infertilidade também são frequentes. A infertilidade está presente em aproximadamente metade das pacientes com diagnóstico de endometriose. 

Distensão abdominal, diarreia, obstipação intestinal, dor para evacuar, sangramento nas fezes, dor ao urinar, sangue na urina, sangramento irregular ou aumentado são outros sintomas que podem estar presentes em paciente com endometriose. 

Como saber se tenho endometriose?

A suspeita da endometriose é baseado na clinica do paciente e a um exame físico bem feito. Por isso é importante uma boa avaliação médica. 

Somado a isso, alguns exames complementares podem ajudar.

São eles:

Ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal; Ressonância magnética de pelve Colonoscopia CA 125

 

Com a historia clinica e os exames complementares podemos suspeitar do diagnóstico, mas a confirmação só é feita com a biopsia cirúrgica. 

 

Como tratar?

Ainda não falamos em cura definitiva para a endometriose, mas com os diagnósticos mais precoces e o avanço nos tratamentos, temos uma melhora considerável da qualidade de vida.

A presença de uma equipe multidisciplinar e interligada é ponto chave no tratamento da endometriose. O tratamento medicamentoso  é uma opção para o controle das dores e progressão da doença, e existem diversas opções, com a finalidade de bloquear a produção hormonal e diminuir os focos da doença. 

Em casos que não obtemos resposta ao tratamento clínico, no acometimento intestinal grave  e de bexiga, por exemplo,  o tratamento cirúrgico por via laparoscópica é indicado. Mas deve-se avaliar a reserva ovariana antes do procedimento cirúrgico, para minimizar os riscos de uma diminuição da fertilidade.  

© FERTVIDA PRIME - 2020