FUNDO-1.png

Síndrome dos Ovários Policístico

A SOP atinge cerca de 6% a 12% das mulheres em idade reprodutiva, sendo considerada uma das causas mais comum de infertilidade.

 

Algumas características para identificar um possível caso de Síndrome dos Ovários Policísticos são:

 

  • Ciclos menstruais irregulares;

  • Crescimento excessivo de pelos, principalmente na área do rosto, do peito e das costas;

  • Acne;

  • Excesso de peso ;

  • Presença de múltiplos cistos na parte externa dos ovários podendo ser visualizados no ultrassom.

  • Níveis altos de  LH ( Hormônio Luteinizante) verificados a partir de exames de sangue.

 

 

Como é realizado o diagnóstico da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)?

 

    Para a realização do diagnóstico é necessário dois dos seguintes critérios para ser confirmado a SOP.

 

  1. Ausência de ovulação, ou seja, infertilidade;

  2. Evidências clínicas ou laboratoriais da presença excessiva de hormônios masculinos, como o testosterona;

  3. Presença de ovários policísticos, ou seja, possuir um volume ovariano aumentado ou um número grande de cistos/folículos em cada um dos ovários.

 

Quais as causas da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)?

 

     As causas da SOP podem estar relacionadas com fatores ambientais e  hereditários/genéticos. Segundo pesquisas, cerca de 70% a 80% tem influência genética.

 

Como a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) pode ser tratada?

 

         O tratamento da Síndrome dos Ovários Policísticos consiste em :

 

  • Reduzir peso : a redução de peso é recomendada a pacientes obesas ou com sobrepeso e pode ser feita evitando alimentos ricos em carboidratos;

 

  • Modificação do estilo de vida: dieta balanceada e prática de exercícios físicos de forma regular;

 

  • Uso de sensibilizadores da insulina para pacientes que apresentem resistência à insulina: são medicamentos que facilitam a passagem de glicose para o interior o interior das células;

 

  • Uso de medicamentos hormonais para a regularização do ciclo menstrual.

 

  • Uso de substâncias antiandrogênicas (medicações que bloqueiam a ação dos hormônios masculinos) ou de anticoncepcionais ( que diminuem a produção desses hormônios).

 

  • Indução da ovulação no tratamento da infertilidade, podendo ser feito com  citrato de clomifeno, letrozol ou gonadotrofinas;

 

 

 

Fertilização in vitro (FIV) e pacientes com a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP):

     

Para as pacientes que vão necessitar de FIV, é feito um tratamento individualizado voltado para a SOP. Estes pacientes apresentam em geral bons resultados de fertilização in vitro (FIV) por apresentarem maior número de folículos, óvulos coletados e embriões formados, porém, possuem o risco aumentado de algumas complicações, como a Síndrome do Hiperestímulo Ovariano.

© FERTVIDA PRIME - 2020